Edição 32 - Maio/2023 | Editorial

Livros e Telas

Muitas obras literárias nos levam a pensar a democracia, como vem propondo o projeto Literatura Brasileira no XXI. E isso é tão forte que extrapola as páginas dos livros, que a partir do século XX começam a chegar ao público através de adaptações radiofônicas, teatrais, televisivas e, como destacamos neste mês, cinematográficas.

A história do cinema brasileiro contou, de fato, com a presença direta e indireta de narrativas, em princípio, criadas como romances, contos, poemas ou dramas. Não é demais lembrar que o único filme nacional a vencer o Festival de Cinema de Cannes foi O Pagador de Promessas (1962), adaptação de Anselmo Duarte para a peça de Dias Gomes.

Literatura e cinema somam-se em produções que denunciam as formas da violência. A oficina do professor e roteirista João Knijnik, “Adaptação cinematográfica no Brasil do século XXI”, tocou nas feridas abertas de nossa urbanização em Cidade de Deus (2002), filme de Fernando Meirelles e Kátia Lund a partir da obra de Paulo Lins, e na posse da terra ribeirinha em Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios (2011), filme de Beto Brant e Renato Ciasca a partir da narrativa de Marçal Aquino.

O trânsito das palavras de um livro para os sons e movimentos da tela, evidentemente, desafia, a começar da escrita do roteiro adaptado. Assim é que, nesta oficina, os participantes puderam exercitar essa arte tão complexa e que tem sido, em certo sentido, negligenciada pelo mercado da escrita criativa. Boa leitura e com pipoca! 

 

 

Leia também

Canto que venta do Sul

Para Darcy Ribeiro (O Povo Brasileiro, 1995), a Brasil Sulino é a área mais heterogênea do país, estendendo-se pelos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Tal diversidade contrasta com a menor extensão desse território, se comparado ao Brasil Caboclo, e ocorre em apenas tr...

Leia Mais!
O preto em todos os Brasis

O Povo Brasileiro (1995), Darcy Ribeiro (1922-1997) fala do português como povo euro-africano, que vem implantar uma economia açucareira e escravista a partir, principalmente, do Nordeste. Mas para além da cor predominante na força de trabalho que fez rodar as engrenagens deste sistema, o chama...

Leia Mais!
Enorme Norte

Darcy Ribeiro (1922-1997), em O Povo Brasileiro (1995), estuda a predominância das populações caboclas na Região Norte do Brasil. Mesmo com a chegada de contingentes vindos da Europa e da África árabe e subsaariana, os povos originários determinaram cultural e geneticamente a maior parcela te...

Leia Mais!
O sertão em cada um

O Povo Brasileiro (1995), de Darcy Ribeiro (1922-1997), vem norteando oficinas do projeto Literatura Brasileira no XXI. Neste mês de março, o foco é o Brasil Sertanejo, cujos traços culturais, econômicos e sociais são localizados pelo estudioso principalmente na região que hoje chamamos de ...

Leia Mais!
Caipira: um causo do Brasil

Inspirado no Povo Brasileiro (1995), de Darcy Ribeiro (1922-1997), o projeto Literatura Brasileira no XXI segue com seu novo ciclo. Depois da primeira ação mais panorâmica, a segunda concentra-se numa das cinco unidades geográficas, econômicas, étnicas e culturais do país: o Brasil caipira.S...

Leia Mais!
Literaturas dos Brasis

O projeto Literatura Brasileira no XXI abre novo ciclo, voltado às nossas diversidades regionais. Inspiradas no Povo Brasileiro (1995), de Darcy Ribeiro (1922-1997), as oficinas visam discutir a literatura de cada Brasil descrito nessa obra fundamental: caipira, sertanejo, caboclo, crioulo e sulin...

Leia Mais!